DICAS E CONSELHOS

Esta página contém dicas de criação úteis que, muitas vezes, não se encontram em livros. São frutos de experiências pessoais ou adaptações delas. São de domínio público e estão aqui para você utilizá-las e divulgá-las sempre que quiser.

DICAS SOBRE CÃES


EVITE SITUAÇÕES PERIGOSAS

O cão é curioso e brincalhão por natureza e se interessa por tudo a sua volta. Como não sabe avaliar o que pode feri-lo ou prejudicá-lo, é obrigação do dono mantê-lo protegido de tudo que possa representar um risco iminente à sua saúde e à sua vida:

Produtos de limpeza e medicamentos: Responsáveis por sérias intoxicações, não devem ser deixados ao alcance do cão;

Plantas nocivas: quando ingeridas, certas plantas costumam provocar intoxicações graves e até fatais. As mais perigosas são as Samambaias, a Comigo-ninguém-pode e a Espada de São Jorge. Cuidado também com flores e plantas de floricultura, geralmente borrifadas com inseticida;

Fios elétricos: evite os choques passando fita isolante nos fios desencapados. Se possível mantenha-os longe do chão, já que alguns cães, sobretudo os filhotes, costumam mastigá-los;

Pedaços de plásticos, tampinhas, moedas e outras miudezas: se forem engolidas podem asfixiar o cão ou interromper o trânsito digestivo provocando vômitos, febre e possíveis infecções;

Sapos: exalam toxinas pela pele, que podem ser fatais se ingeridas pelo cão;

Veneno para rato e formigas: muito cuidado com iscas e armadilhas que contenham raticidas ou mata-formigas, mortais para o cão;

Picada de aranha: as venenosas podem matar se o cão não for imediatamente tratado (com soroterapia e medicamentos específicos). As não venenosas não levam à morte, mas provocam sintomas como prostração, febre, edema e necrose da pele no local da picada, que também devem ser tratados;

Na rua: mantenha o seu cão sempre preso na guia, evitando possíveis atropelamentos e brigas com outros cães. Não permita que coma restos de comida do chão, pois podem estar estragados e mesmo contaminados;

Nos dias quentes: jamais deixe o cão fechado no carro por muito tempo. O calor e a falta de ventilação podem provocar desidratação, edema cerebral e morte;

Durante o inverno: para evitar doenças respiratórias, mantenha a cama do cão longe das correntes de ar, bem como de locais úmidos, que também favorecem a proliferação de fungos na pele.


CONTROLE DE ECTOPARASITOS

Quando o animal encontra-se infestado, recomendam-se os banhos com produtos carrapaticidas, os quais devem ser realizados por profissionais experientes, para que não haja intoxicação da pessoa nem do animal.

Para a prevenção de pulgas e carrapatos, recomenda-se a aplicação de medicamentos tópicos cuja duração é de aproximadamente um mês ou o uso de coleiras carrapaticidas cuja duração varia entre três e oito meses, dependendo do tipo utilizado.

Os banhos eliminam os ectoparasitos que se encontram no animal naquele momento, não tendo poder residual. Desta forma, após o banho, recomenda-se a aplicação de medicamentos tópicos (dois dias após o banho) ou a utilização de coleiras carrapaticidas.

De nada adiantam os procedimentos acima mencionados se, paralelamente, não for realizada a limpeza do ambiente (a maior parte dos ectoparasitos encontram-se no meio ambiente onde o animal vive) com a utilização de produtos líquidos diluídos em água ou spray, os quais devem ser aplicados no chão, paredes, tetos e plantas. O animal deve ser retirado durante 4 a 6 horas quando da utilização destes produtos para prevenir intoxicações.


CUIDADO! FIQUE DE OLHO...

Nos dias de hoje, em que sofremos os efeitos do racionamento de energia elétrica, com a ameaça dos temíveis apagões, e com a possibilidade do corte do fornecimento de energia elétrica para aqueles que não atingirem as cotas de consumo estipuladas, é cada vez menor o número de proprietários que ainda insistem em contratar serviços de banho e tosa em domicílio.

Se não bastasse a sujeira que fica pela casa (tudo molhado, pêlos espalhados por todo canto, etc.), o elevado consumo de energia elétrica dos secadores utilizados (um dos aparelhos que mais consomem energia em uma residência) pode fazer com que o consumo ultrapasse a cota estipulada e, com isso, o corte no fornecimento de energia é inevitável.

Uma boa desculpa para ainda se realizar banhos e tosas em domicílio é o conforto que isso representa: o proprietário não precisa sair de sua residência, é o banhista/tosador que vai até sua casa.

Nem mesmo essa vantagem se justifica. Atualmente, algumas clínicas veterinárias e pet shops disponibiliza aos seus clientes e amigos o serviço de táxi-dog, ou seja, a empresa vai buscar e depois levar de volta o animal na residência do cliente, garantindo assim todo conforto ao proprietário.

Além do mais, quando seu animal toma banho ou é tosado em uma clínica veterinária, o banhista/tosador, ao verificar alguma irregularidade no seu animal, imediatamente chama o veterinário para que este o examine. Desta forma, se seu animal estiver doente, o veterinário rapidamente poderá indicar o melhor tratamento, coisa que um banhista/tosador que trabalha em domicílio não pode fazer.

Aliás, alguns até fazem. Há banhistas/tosadores que prescrevem medicamentos para animais (pasmem, alguns até passam receita!), coisa que é exclusiva do médico veterinário, único profissional que efetivamente tem competência e habilitação legal para prescrever tratamento para animais. O que esses "curiosos" estão fazendo é crime, é exercício ilegal de profissão, que pode até dar cadeia! Para isso, basta apenas serem denunciados.

E pasmem mais ainda: há banhistas/tosadores que fazem até pequenas cirurgias (corte da cauda, por exemplo!). Já tivemos informações de uma banhista/tosadora que ao fazer um corte de cauda acabou provocando grande sofrimento aos filhotes que passaram noites sofrendo dores terríveis, sem falar nos pontos que inflamaram e se abriram comprometendo a cicatrização. É essa banhista/tosadora não tinha o instrumental cirúrgico adequado, e não possuía conhecimento sobre os métodos de esterilização do instrumental nem sobre os indispensáveis medicamentos que devem ser ministrados ao animal após uma cirurgia como esta.

E o que é mais triste é que ainda há proprietários que sujeitam seus indefesos animais a esses "curiosos" que só pensam em ganhar dinheiro a custa da boa fé desses ingênuos proprietários.

Mas, felizmente, essa mentalidade está mudando.

A grande maioria dos proprietários já percebeu que quando alguém aparece em sua residência oferecendo um serviço por um preço muito abaixo do praticado nas clínicas veterinárias e pet shops é porque alguma coisa não está certa.

Também já perceberam que há certas economias que é melhor não fazer, pois acabam dando um prejuízo muito maior depois.

Por tudo isso, se você ainda insiste em utilizar os serviços desses "curiosos", aí vai uma dica: anote os telefones da nossa clínica (3467 8006 / 3463 9379 / 9182 3557). Nós ficaremos imensamente felizes em cuidar do seu animal que tenha passado pelas mãos de algum desses "curiosos"! Pena que você vai gastar muito mais dinheiro para consertar os estragos por eles causados do que se tivesse feito a coisa certa desde o início...


SEU ANIMAL APRESENTA ESSES SINTOMAS?

Os ouvidos do seu cão ou gato produzem muita cera e exalam um cheiro desagradável? Seu animal coça muito as orelhas? Você já tratou esse problema com inúmeros medicamentos e seu animal nunca ficou curado? Esse problema persiste já há algum tempo?

Se suas respostas foram afirmativas e você já não sabe o que fazer para livrar seu animal desse incômodo problema, traga-o a nossa clínica.

A experiência da Drª Thaís Bandeira Ribeiro já curou dezenas de pacientes que apresentavam essa mesma sintomatologia.

Traga o seu animal para uma consulta e resolva definitivamente esse problema.

 

+ DICAS

 

Dog Center    |   Serviços & Produtos    |  Localização   |    Fale Conosco
 
 
 
iSOFTY TEC